segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Missões Transculturais: Timor Leste

Foto

Maria Aparecida Lopes
A missionária Maria Aparecida, conhecida como Branca – apelido de infância, fez CTMQ, serviu a Deus em sua igreja local e na Secretaria Estadual de Missões de Minas Gerais. Em 2001 começou a se envolver no projeto do Timor Leste e está nesta nação há nove anos.

O Timor Leste é um dos países mais jovens do mundo e também está entre as 10 nações mais pobres, foi colônia de Portugal até 1975. O tétum e o português compõem as línguas oficiais do país, enquanto o indonésio e a língua inglesa são consideradas línguas de trabalho. 

A missionária Branca trabalha especialmente com área da saúde, um de seus sonhos e projeto era a abertura de uma maternidade, o que já se realizou e muitas mulheres recebem atendimento e orientação durante a gravidez.
Seu projeto envolve também o desenvolvimento comunitário, através de ações para melhorar a qualidade de vida dos timorenses, com projetos que abrangem saúde, água, agricultura e educação.
Curiosidade no campo
No processo de aprendizado da língua tetum a missionária Branca viveu um situação engraçada, a palavra mentir e estar satisfeita são muito parecidas (bosok e boso). Durante um almoço, ofereceram mais comida para Branca, porém ao invés de falar que estava satisfeita, disse que não queria mais, já estava “mentirosa”.