quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Acorda Tu que dormes: Jesus Cristo está voltando.


Apocalipse
Tipo: Esboços e estudos bíblicos / Autor: Pr. Rodrigo M. de Oliveira
APOCALIPSE
(Revelação)

“Prepara-te para a volta de Cristo, antes que seja Tarde”!

Antes de Iniciarmos o detalhamento sobre o Livro do Apóstolo João, este servo de Deus Inspirado pelo Espírito Santo, devemos entender: Por quê se faz necessário seu estudo?
Objetivo: Alertar os nossos irmãos na fé, uma vez que Deus tem permitido que já a algum tempo, estudássemos o apocalipse e a escatologia, afim de que alertando os irmãos, estes possam alertar seus parentes e outras pessoas, sobre os sinais proféticos que servem de bússola, telescópio, e cronômetro espiritual.
Escatologia: do grego “escatos” significa últimos, “logia” = estudo. Logo: Estudo dos últimos acontecimentos.
Peço que o amado(a) leitor(a) preste bastante atenção nas próximas linhas a respeito de fatos bíblicos concernentes a Escatologia Bíblica, pois faremos aqui um apanhado dessas verdades bíblicas. Assim, creio que mesmo os que não são estudantes das profecias bíblicas possam compreender este estudo.
O Apocalipse trata dos julgamentos de Deus que serão derramados sobre a face da terra, para aqueles que não aceitaram seu Messias Jesus Cristo, como Salvador, e todos infiéis, que tendo tempo e oportunidade para se converterem a Cristo nosso Deus que pode todas as Coisas, não o fizeram.
No Livro do Profeta Daniel Capítulo 9, Deus nos fala através deste seu servo, que 70 semanas estavam determinadas para seu povo e sua santa cidade, este tempo é como diz o texto semanas de anos. (veja exemplos deste termo, “semanas de anos”:Lv 25:8; Nm 14:34; Ez 4:7; É Bíblica esta expressão. Uma AplicaçÃo prática de uma semana de anos se encontra em Gn 29:20,27.
Muito bem. 69 (sessenta e nove) semanas de anos, já se passaram, cumprindo-se com a morte e ressurreição de Cristo, dando inicio ao “Parêntese” na História/Profecia, parêntese esse, entre a 69ª e a última semana de 7 anos (70ª) para que se cumprisse o “tempo dos Gentios”( refere-se ao calendário profético para as nações) iniciados em 586 a.c., e para que Toda a Terra tivesse ouvido o evangelho da Graça de nosso Senhor Jesus Cristo conforme Atos 1:8. Período este chamado de 6ª Dispensação . “A Dispensação da Graça”ou “Dispensação Eclesiástica” (da Igreja).Iniciada no sacrifício de Cruz do Cristo.
Acontece então um intervalo na História da Profecia que Deus havia determinado, chamado tempo dos “Gentios”, este intervalo hoje já ultrapassa 2000 anos, vemos então o quanto Deus é misericordioso, quanto tempo tem dado a humanidade para que se converta. Glórias a Deus, Louvado Seja Deus, Amém!
É como se Deus tivesse dado um quadro geral a Daniel das coisas que devem acontecer e a João, Deus deu detalhes. Agora com os dois livros (Daniel e Apocalipse) abertos prossigamos com nosso estudo:
Os sinais da volta de Cristo concernentes a Israel.
O que são sinais da volta de Jesus?
Os sinais relativos à volta de Nosso senhor Jesus Cristo estão alinhados numa série de profecias, cujo principal objetivo é alertar os salvos a estarem convenientemente preparados para o arrebatamento da igreja.
Israel é o mais forte e claro prenúncio do iminente retorno de Cristo. Estes sãos os três momentos escatológicos mais importantes na vida do povo escolhido: 1) O renascimento de Israel como nação soberana. 2) a retomada de Jerusalém como a capital una e indivisível de Israel; e: 3) a reconstrução do Santo Templo como o lugar de adoração por excelência da nação judaica.
O renascimento de Israel como nação soberana. A volta dos judeus à terra de seus ancestrais foi um dos maiores milagres de todos os tempos. Eis o que predissera Isaias acerca daquele 14 de maio de 1948, quando o fundador do Estado de Israel, David Bem Gurion, lia a declaração de independência da jovem e milenar nação hebréia: “Quem jamais viu tal coisa? Quem viu coisas semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra em um só dia? Nasceria uma nação de uma só vez? Mas Sião esteve de Parto e já deu a luz seus filhos”. (Is 66.8).
Aliás, o próprio Messias antecipou a restauração de Israel, ao evocar o renascimento da figueira ( Mt 24:32). Leia ainda, com atenção, os capítulos 36 e 37 de Ezequiel.
A retomada de Jerusalém como a capital de Israel. O fato mais extraordinário ocorrido durante a guerra dos seis dias, em junho de 1967, não foi a derrota infligida pelo exército de Israel às nações árabes. E, sim, a reconquista de Jerusalém que desde que fora, destruída por Nabucodonosor, em 586 a. c., vinha sendo pisoteada pelos gentios. Cumpria-se o que profetizara o Senhor Jesus: “E cairão a fio de espada e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que o tempo dos gentios se completem”(Lc 21:24). O tempo dos gentios que teve inicio em 586 a.c. começa a chegar ao fim.
A reconstrução do Santo templo. Há fortes evidências proféticas de que, em breve, o Santo Templo será reconstruído na Cidade Santa (Dn 9:27; Mt 24:15: 2 Ts 2:1-4). Isso pode ocorrer antes, ou depois, do arrebatamento da igreja. De uma coisa, todavia, temos certeza: a Casa de Deus será reconstruída em Jerusalém. Essa possibilidade, por si própria, já se constitui num grande alerta àqueles que aguardam a volta de Cristo.
Mas...Por que Israel precisou ser restaurado?
Em Deuteronômio Capítulo 28, vemos maravilhosas bênçãos sendo declaradas, ao que permanecer fiel, e a partir do versículo 15 vemos ou lemos o castigo para aqueles que forem desobedientes, recomendo a leitura do capitulo agora.
Muito bem. Agora após a leitura, observe se essas maldições em grande parte já não foram cumpridas sobre Israel na diáspora, fica mais fácil a compreensão disto quando se assisti a filmes sobre a História dos Hebreus, sobre o Holocausto e etc... ai então compreendemos à luz da leitura do texto sagrado porque Israel veio sofrendo tanto e foi disperso de sua terra, foi devido a desobediência e Pecado de Idolatria, um dos maiores pecados desta nação.
Mas conforme 2ª crônicas 7: 14 Deus promete sempre o perdão àqueles que se prostrarem e arrependerem dos seus pecados.
Continuando a analisar tal situação vejamos Ezequiel 37 – O vale dos Ossos Secos – Este capítulo maravilhoso prediz precisamente como Deus retornará Israel de volta à terra. Ele compara esse processo gradual a um vale de ossos secos que são sistematicamente ressuscitados e passam a ser organismos vivos novamente. Para garantir que ninguém deixe de compreender esse ponto, Deus primeiro anuncia a estranha profecia nos versos 1 até 10 e depois fornece as explicações no verso 11. Ele diz claramente, “...estes ossos são toda a casa de Israel.”
É interessante que Deus disse, no verso 8, que trará Israel de volta à sua terra sem espírito; como sabemos que o Espírito Santo sempre testifica de Jesus Cristo, sabemos que Deus restaurará Israel inicialmente em um estado de incredulidade em Jesus como Messias. No verso 14, porém, Deus diz, “E porei em vós o meu Espírito, e vivereis, e vos porei na vossa terra; e sabereis que eu, o SENHOR, disse isto, e o fiz, diz o SENHOR.”
Logicamente, sabemos à partir da história recente que Israel foi, de fato, estabelecido em descrença em Jesus Cristo, a crença de Israel em Jesus como Messias ainda ocorrerá no futuro.
Em Oséias, Deus novamente reitera esses dois temas, a destruição física e a dispersão dos judeus e sua futura restauração. No capítulo 1:2, Deus explica a razão da suas ações: “O princípio da palavra do SENHOR por meio de Oséias. Disse, pois, o SENHOR a Oséias: Vai, toma uma mulher de prostituições, e filhos de prostituição; porque a terra certamente se prostitui, desviando-se do SENHOR.” Deus afirma severamente que o tempo da misericórdia passara e o tempo do julgamento chegara. Entretanto, nos versos 10-11, ele prediz a restauração de Israel!! No capitulo 2, Deus novamente prediz no verso 14 que falará ao coração de Israel com ternura. Nos versos 19-23, Deus diz claramente que tornará novamente e terá misericórdia de Israel e novamente desposará a nação.
Em Oséias 3:4, Deus prediz que sua punição a Israel será por “muitos dias” e que a expressão religiosa deles ficará prejudicada. “Porque os filhos de Israel ficarão por muitos dias sem rei, e sem príncipe, e sem sacrifício, e sem estátua, e sem éfode ou terafim.” A história nos diz que esse julgamento ocorreu exatamente dessa forma. Então no próximo verso, Deus volta ao tema da restauração, quando diz:
“Depois tornarão os filhos de Israel, e buscarão ao SENHOR seu Deus, e a Davi, seu rei; e temerão ao SENHOR, e à sua bondade, no “fim dos dias.”(Oséias 3:5) Observe que Israel buscará ao Messias Jesus, referido aqui como Davi seu rei”. Observe também que Deus coloca esse retorno nos “últimos dias”, uma clara referência, ao fim dos tempos. No entanto, o melhor ainda está por vir.
Em Oséias 5:14, Deus anuncia a severidade da sua punição quando diz, “Porque para Efraim serei como um leão, e como um leãozinho à casa de Judá: eu , eu o despedaçarei, e ir-me-ei embora; arrebatarei, e não haverá quem livre.” Mas , no verso seguinte, Deus retorna ao tema da restauração!! “Irei e voltarei ao meu lugar, até que se reconheçam culpados e busquem a minha face; estando eles angustiados, de madrugada me buscarão.”Deus está dizendo aqui que, uma vez que os judeus se reconheçam culpados e busquem sua face, ele retornará para eles.
Então, no capítulo 6:1-2, ouvimos que as pessoas dirão naquele tempo: “Vinde, e tornemos ao SENHOR, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele.” Essa Escritura é provavelmente o melhor em falar claramente tanto a punição física e a restauração planejada em único verso.
Em Joel, temos as mesmas profecias e podemos ver que essa restauração ocorrerá no fim dos tempos, pois vemos referências ao “dia do SENHOR” e, no capítulo 2:1-11, vemos profecias paralelas àquelas de Jesus em Mateus 24 e em Apocalipse. Em Joel 2:18, Deus declara claramente seu tema da restauração quando diz, “Então o SENHOR se mostrou zeloso da sua terra, e compadeceu-se do seu povo.”Deus então detalha como abençoará Israel quando este retornar à sua terra nos últimos dias e como planeja proteger militarmente a nação. Em seguida, em Joel 3:1, Deus diz,”Porque, eis que naqueles dias, e naquele tempo, em que removerei o cativeiro de Judá e de Jerusalém...” Novamente, Deus prediz o retorno de Israel à terra prometida.
Todo o livro do profeta Amós é instrutivo sobre esses dois temas de destruição física e na restauração nos últimos dias. Nos Capítulos 1 até 9:7, Deus lamente pelos pecados de Israel e pela punição que seria derramada. Em Amós 9:8, Deus diz, “Eis que os olhos do SENHOR DEUS estão contra este reino pecador, e eu o destruirei de sobre a face da terra; mas não destruirei de todo a casa de Jacó, diz o SENHOR.” Ele então retorna ao tema da restauração, a partir do verso 11.
Em Ezequiel 20:40-44, Deus especificamente trata do retorno de Israel a ele. No verso 44, Deus diz uma coisa muito interessante: Diz que restaurará Israel “por amor do meu nome”. Ele reitera essa verdade em Ezequiel 36:21-22. Deus diz de forma muito clara que estava planejando restaurar Israel na sua terra: “Mas eu os poupei por amor do meu santo nome, que a casa de Israel profanou entre os gentios para onde foi. Dize por tanto à casa de Israel: Assim diz o Senhor Deus: Não é por respeito a vós que eu faço isto, ó casa de Israel, mas pelo meu santo nome, que profanaste entre as nações para onde fostes.”
Agora Estamos na verdade central. Deus prometeu a Abraão que seus descendentes sejam o povo escolhido para sempre. Veja, o Plano da Redenção, foi definido por Deus para ser realizado por meio desse povo escolhido, Israel. O Messias deveria vir duas vezes, a segunda vez com grande poder e glória, para reinar de forma absolutista por toda a eternidade. Se Deus destruísse Israel por seus pecados e não o restaurasse, Jesus não poderia voltar conforme predito. Embora ele ainda pudesse voltar com todo seu poder e glória, não voltaria como um descendente de Abraão. Ficaria provado que as promessas de Deus sÃo nulas e vazias; ficaria provado que Deus mentiu a Abraão.
Portanto, por sua própria natureza, Deus foi forçado a restaurar Israel após a punição terminar. Assim, Deus falou freqüentemente sobre a planejada restauração. Esse tema é repetido tantas vezes no Antigo e Novo Testamento que é impossível deixar de observa-lo, a não ser que você decida fechar os olhos a essa verdade óbvia. Isso é exatamente o que muitas pessoas decidiram fazer. Elas não crêem por que não querem crer. Mas o poder de Deus é tão grande que não importa quantos estão tentando negar que Israel ainda é povo escolhido de Deus. Israel foi restabelecida como país em 1948 e nunca mais será expulso de sua terra novamente.
Deus escolheu Israel originalmente por que Israel era a menor de todas as nações, de modo que quando Israel se tornar a maior, Deus receberá a glória. Hoje o pequeno Israel já derrotou seus inimigos árabes em seis guerras e os supera política e economicamente. Se compararmos a população dos países árabes no Oriente Médio com a judaica, vemos que Israel é superado em uma proporçÃo de 52 para 1! No entanto, Israel continua a derrotar todas as forças armadas árabes combinadas e será usado por Deus para trazer julgamento de aniquilação contra muitas dessas nações.
Logo chegará o tempo em que bilhões ficarão tão enfurecidos contra Israel e Jerusalém que tentarão vir contra o povo escolhido de Deus em ondas sem precedentes de ataques. Deus porém, livrará Israel todas as vezes. Apenas o fato de o minúsculo Israel prevalecer contra seus inimigos combinados deve ser prova suficiente para você que o único Deus no universo – o Deus de Abraão, Isaque e Jacó – está protegendo Israel.
Verdadeiramente, ao vermos essas forças combinadas virem contra Israel, bem como tantas outras profecias que estão sendo cumpridas, isso deve convencê - lo que estamos no fim dos tempos.
Estes estudos nos mostraram, ainda que de forma resumida, como em nosso dias o cenário e o palco global, encontram-se em avançado andamento para a futura manifestação do Anticristo, da Besta, e do Falso Profeta, que são a trindade do mal.
Tenhamos em mente ainda mais um esclarecimento acerca do tempo: de Adão até Abraão 2000 anos,(e um arrebatamento: O de Enoque. De Abraão até Jesus 2000 anos e outro arrebatamento: O de Elias. Da Crucificação e Ressurreição de Cristo para cá, ou até o arrebatamento 2000 anos e outro arrebatamento: O do Corpo de Cristo – A Igreja).
Então a Bíblia fala de 3 arrebatamentos em 6000 anos!
Pois conta-se o tempo em A.C. (Antes de Cristo) e D.C. (Depois de Cristo), e o Messias foi cortado, ou crucificado com 33 (trinta e três) anos. Muito bem 2005 – 33 = 1972, agora não estamos estabelecendo um padrão nem procurando fixar datas e hora, acerca do arrebatamento, uma vez que Jesus disse “que acerca do dia e hora ninguém sabe, unicamente o Pai”, mas ele também disse que conhecíamos o tempo e as estações, ou seja, saberíamos a proximidade daquele dia de acordo com os sinais cumpridos acerca do mundo e de Israel. Pois bem Deus fez o mundo em seis dias e no último o 7º descansou, a humanidade teve 6 eras (milênios) a sétima será a dispensação do milênio, após o arrebatamento, após a grande tribulação, iniciando com a volta triunfal de Cristo no monte das Oliveiras, conforme o Profeta Zacarias no Capítulo 14, onde a terra (humanidade) descansará, e Cristo governará por 1000 anos em paz, antes do grande trono branco (juízo final).
Então alguém me perguntaria: Irmão Rodrigo, Você está nos dizendo que faltam 28 anos para o arrebatamento?
A resposta é, NÃO. Pois dentro deste período restante, ou seja antes de seu término, tem que acontecer a reconstrução do Santo Templo, o Arrebatamento da Igreja de Cristo, O aparecimento do Falso-Profeta –e do Anticristo, Unificação das Religiões com o inicio da Grande tribulação que durará 7 anos, que são a última das 70 semanas de Daniel, pois conforme falamos no inicio deste estudo se passaram 69 semanas e houve um intervalo, um parêntese na história, para que se cumprisse o tempo dos gentios, restando uma semana de 7 anos; inclusive no inicio, demonstramos também que é bíblica a expressão semana de anos.
Então ao final de tudo isto, Jesus Cristo, o verdadeiro Messias, descerá no Monte das Oliveiras, lançando o anticristo e o falso profeta com seus exércitos dentro do lago de fogo, de onde jamais sairão, e prendendo Satanás por 1000 (mil) anos e estabelecendo seu reinado milenar (de, mil anos).
Por quê estamos dizendo isto, e repetindo?
O fato é que a trasladação da igreja e a volta de Cristo são duas profecias bíblicas que estão para se cumprir dentro de pouco tempo. Muitos Cristãos e pessoas diversas acham que não saberemos a época destes eventos e por isso vivem de maneira ociosa sem se preocupar com estas profecias. Nosso Senhor Jesus Cristo, enfatizou estas doutrinas e nos exortou a estar apercebidos para este eventos que fielmente se cumprirão. A escatologia bíblica serve para estudarmos as doutrinas das últimas coisas e para nos posicionarmos em relação aos acontecimentos futuros.
O rapto da igreja e a volta de Cristo são dois eventos futuros e próximos conforme já dissemos, e por isso merecem a nossa atenção, zelo e expectativa.
Nos primeiros anos do século XXI, talvez aconteça o arrebatamento da igreja, e Cristo a levará para o 3º (terceiro) céu, onde ocorrerá, as bodas do cordeiro. Enquanto isto na terra, haverá A GRANDE TRIBULAÇÃO, por 7 anos, e posteriormente a Guerra do ARMAGEDON, em seguida, Cristo voltará nas nuvens, nesta ocasião a Nação de Israel o receberá como o Messias aguardo.
Agora com esta sucinta (dito ou descrito breve, resumido; Limitado ao essencial.), explanação (Explicação, esclarecimento, articulação; Fácil de entender) de profecias cumpridas acerca de Israel e do mundo, voltemo-nos par o Apocalipse propriamente dito, observando sempre que a meia-noite espiritual da humanidade está as portas - Mateus 25:6.
INTRODUÇÃO AO APOCALIPSE
O Apocalipse desperta interesse em quase todos as pessoas, principalmente nos últimos anos, por ocasião da mudança de milênio: anos 2000 e 2001. Cristãos ou não, religiosos ou não, muitos são os que têm grande curiosidade em relação ao livro. Entretanto, o medo e a falta de compreensão acabam por afastar o interessado. O que resta normalmente, são informações obscuras e bastante distorcidas. Apocalipse, Armagedon, Anticristo, Juízo Final, e Fim do Mundo, são temas reincidentes nos filmes de Hollyood, que vão dando sentido lendário e fantasioso aos assuntos extraídos das escrituras. Trataremos então de uma introdução ao estudo do apocalipse, apresentando algumas hipóteses de interpretação, em linhas gerais, dizemos isso com relação a algumas figuras do apocalipse, que parecem ter dupla significação e que realmente ficam mais claras de acordo com os acontecimentos.
Precisamos ler, ouvir, estudar e guardar o seu conteúdo. Pode ser que muitas de suas profecias não possam ser entendidas antes de seu cumprimento. Contudo se as conhecemos poderemos reconhecê-las quando se cumprirem e, reconhecendo, poderemos tomar as atitudes certas no momento certo. Jesus disse: “...quando virdes... a abominação da desolação... então, os que estiverem na Judéia fujam para os montes”(mat 24:15). Portanto, quando certos fatos ocorrerem, nós poderemos identificá-los, caso estejamos munidos do conhecimento profético.
Característica e Conteúdo do Apocalipse: Mensagem de esperança, escatológica, intervenção Divina, visões, símbolos, criaturas estranhas, profecias e apelo à imaginação.
O que é Apocalipse: Esta palavra grega, significa “revelaçÃo”. Revelar é mostrar, tirar o véu, desvendar. Falamos do apocalipse como algo oculto. Porém, trata-se de uma revelação. O livro revela que Deus tem um plano, cujo desfecho é a vitória de Cristo.
Dados Gerais
Autor: O apóstolo João – 1:1,4,9-11
Destinatário: As 7 Igrejas da Ásia (em geral, fundadas por Paulo)
Data: entre 95 e 100 D.C. mais precisamente 96 D.C.
Local: Patmos – Ilha vulcânica, rochosa e estéril, localizada a 56 km da casta da Ásia Menor (Turquia). Para lá eram enviados os prisioneiros na época do imperador romano Domiciano (81 a 96). Outra hipótese defendida por alguns é a de que João tenha estado lá em algum momento do governo de Nero (54 – 68).
Idioma: Grego (ap 1:8; 21:6; 22:13)
Tema: Conflito entre o bem e o mal. A vitória de Cristo e a implantação do seu reino.
Versículo-Chave:Apoc. 1:7
Versículo-Esboço: Apoc. 1:19
Característica Particulares: Único livro com herança e maldição relacionados ao seu uso (1:3 e 22:18-19)
Classificação: Livro Profético
Personagem Central: O Cordeiro
O Livro de João vem mostrar o futuro: O Castigo dos ímpios, a volta de Cristo, seu triunfo juntamente com a igreja e o estabelecimento do Reino de Deus. E que o império Romano não prevaleceria contra os desígnios divinos.
Para se entender a tipologia deste livro, é preciso conhecer outros passagens bíblicas, relacionadas com o plano do julgamento final. Apocalipse é o único livro da Bíblia que diz, logo no começo do texto, que é feliz quem lê: 1:3.
Deus Ensina aos “pequeninos” que é “revelação de Jesus aos seus servos”. Mt 11:25b.
O livro tem 7 bem-aventuranças. Cada Crente procure ver se está pronto para tomar posse das que estão ao seu alcance.
Sete Bem-aventuranças:
Bem-aventurado o que lê e os que ouvem e guardam a profecia deste livro (1:3)
Bem-aventurado os mortos, que morrem no senhor (14:13)
Bem-aventurado aquele que vigia (em relação a vinda do Senhor) 16:15
Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro
Bem-aventurado e Santo aquele que tem parte na primeira ressurreição
Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro (22:7)
Bem-aventurados Aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do cordeiro (22:14).
Cada Capítulo do livro de Apocalipse tem promessas, ou frases que apresentam conforto espiritual mesmo para quem não souber interpretar as visões proféticas. Todo crente pode encontrar conforto para sua alma, lendo qualquer parte da revelação de Jesus Cristo.
Capítulo 1 – A Visão:
“... vi sete castiçais de ouro (v12); no meio dos castiçais, um semelhante ao filho do homem (13); e Ele tinha na sua destra sete estrelas(16). Os castiçais e as estrelas são explicados no próprio texto (v20)
As 7 estrelas são as sete igrejas a quem João devia enviar as mensagens que ia escrever. Existiam estes lugares com estes nomes e Deus mandava, por meio de João, uma carta a cada igreja (v11).
As 7 cartas são o conteúdo dos capítulos 2 e 3. aquele que João viu (v13-16) era o próprio Jesus. João fora apostolo, a visão que ele teve de Jesus é considerada assim, coisa passada: “coisas que viste”.
O Apocalipse no capítulo 1 faz a introdução.
No capítulo 2 e 3 são as cartas as 7 igrejas da Ásia que representam as eras da igreja de Cristo na terra.
No Capítulo 4 visão da “coisas que depois destas devem acontecer”.
Neste capítulo 4 – João foi arrebatado (v1 e v2) para ver as coisas futuras. Este arrebatamento é símbolo do arrebatamento da Igreja. João viu: a) um trono; b) um assentado sobre ele (v2 e 3); c) 24 tronos com 24 anciãos (v4) d) 4 criaturas viventes (v6-8).
Capítulo 5 Um livro selado com sete selos: É o livro dos juízos de Deus. Tudo que se segue no livro do Apocalipse procede daquele livro que João viu.
Capítulo 6 até 20 : Grande Tribulação, 70 semanas de Daniel, Anticristo, Falso Profeta, Armagedom, volta de Cristo, milênio, Gogue e Magogue.
Capítulo 21 e 22 O Novo Céu e a Nova Terra e A Nova Jerusalém.
Amém!

LEIA Lucas Capítulo 21 e versos 24,25, 29,30,31,32, 34

Algo para reflexão dos leitores, Jesus disse que não passaria esta geração sem que se cumprisse estas coisas. Bom Ele falava das pessoas que veriam entre outros sinais o da Figueira se cumprindo, que todos sabemos é Israel. Agora qual a geração que viu a figueira (Israel) Florescer? A resposta encontra-se no inicio do estudo quando falamos da restauração de Israel (figueira) como nação, e isto ocorreu como consta em qualquer livro de História, em 14 de maio de 1948, com esta data em mente voltemos a questão de que “não passará esta geração”. Uma Geração na bíblia dura aproximadamente 40 anos, (trataremos de geração em outro estudo), se somos uma geração de 40 anos + a data que a figueira floresceu 14 de maio de 1948 teremos 1988, já se passou, pois nos encontramos agora no ano de 2005. Porém a profecia fala de ... “tua santa cidade” e ... “até que Jerusalém seja pisada pelos gentios”, as profecias são a respeito de Jerusalém onde nosso Senhor foi crucificado. Aqui vai outra pergunta: Quando Jerusalém voltou a pertencer aos Judeus? Em Junho de 1967 na guerra dos seis dias contra os árabes. 1967 + uma geração de 40 anos = 2007; Não queremos com isso FIXAR DATAS para o arrebatamento, pois outras duas religiões já fizeram isto, e sua data falhou revelando-se falsos profetas. O que queremos com esta reflexão é levar o amado(a) leitor(a) a refletir sobre esta questão da geração de 40 anos, e fatos históricos tão gritantes, e se encaixando na profecia bíblica, o fato é que a volta de Cristo é algo que pode acontecer a qualquer momento. Mais há quem diga, que Uma geração passou a ser de 70 anos, logo, este pensamento que apresentei, fica restrito ao campo da Conjectura Teológica. (suposição com base no que se conhece).
Volto a afirmar aqui que minha intenção(Rodrigo) não é de marcar datas para o arrebatamento, e sim alertar que não falta mais nada para a igreja ser arrebatada.
Se Jesus Voltar agora você está preparado? E os seus amados?
Leia Lucas capítulo 21 e Mateus 24 e 25, Apocalipse e 1ª Tess. 4