segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Mulheres Quadrangular


Pra. Mara

As mulheres da Igreja do Evangelho Quadrangular sempre foram cooperadoras e ativas. O trabalho na igreja começou, informalmente, ainda nas tendas, como as do Cambuci e Água Branca, entre outras.A necessidade as motivava, auxiliavam na arrumação do local de culto, no evangelismo pessoal, distribuiam folhetos, costuravam tendas e ajudavam os carentes distribuindo cestas e dando aulas de higiene pessoal, preparavam e serviam as refeições nas convenções.Inicialmente a liderança local foi exercida pela missionária Mary Willians, sempre ajudada por várias senhoras e moças que freqüentavam o trabalho desde o início. Mulheres como Alice Landi, Orotildes Rosa, Dirce Puglia, Maria Cândida Alcantara Gomes, Geny Alvarenga Miscolty, Suzana Monâco, Amélia Raimondo, Herminia Fré, Norma Alvarenga, Laura Andrade Antonio, Rosa Molina, Rosa de Vicenzo Monaco, Alice Moura, Purificação Alcantara e Eunice de Barros (estas duas últimas, ainda jovens, tornaram-se as primeiras missionárias enviadas para trabalhar na abertura de novas tendas, indo primeiramente para Araçatuba, em São Paulo), sempre estiveram presentes, mas não foram as únicas, haviam várias outras senhoras na igreja, algumas esposas de missionários, outras somente freqüentadoras.Foram e são tantos nomes que poderiamos formar uma imensa galeria ,todas porém tinham em comum o amor pelas almas e a disposição de trabalhar para o progresso na divulgação do evangelho.O Grupo Missionário de Senhoras surgiu, de forma oficial, inicialmente em trabalhos locais. O principal deles foi o da tenda na Água Branca, que mais tarde foi transferida para o salão da Rua Brigadeiro Galvão, 723, conhecido como a Igreja da Barra Funda, que se tornou a atual igreja Sede, na Praça Olavo Bilac, 90. Teve como primeira presidente Edith dos Santos, casada e com tres filhos. Seu esposo era Geraldino dos Santos, que na época era o pastor da Barra Funda.Com o passar dos anos e o crescimento dos grupos foi organizada a coordenadoria regional. A Sra Edith dos Santos foi a primeira coordenadora regional dos Grupos Missionários de Senhoras existentes, sendo também quem organizou os primeiros congressos.Na VIII Convenção Nacional, ocorrida em 1962, dona Edith, junto com a diretoria regional de senhoras, pediu que o grupo fosse reconhecido e que fosse convocado um Congressso Nacional dos Grupos de Senhoras.Esse primeiro congresso nacional aconteceu em outubro de 1962, junto com o regional (presidido inclusive pela mesma mesa). Na Convenção Nacional de 1963 foi nomeada a Missionária Jane Faulkner para Coordenadora Nacional, sendo novamente nomeada em 1964.Em 1965 foi nomeada Geny de Alvarenga Miscolty , que esteve no grupo missionário da Sede desde os primeiros anos da greja. Ela casada com o pastor Jacob Miscolty que foi membro do Conselho Nacional de Diretores e pastor da IEQ na Vila Romana São Paulo.Mas a explosão e o crescimento dos grupos aconteceram na gestão da missionária Jane Faulkner, que reassumiu novamente o trabalho, em 1967, dando novo impulso e organizando o grupo nacionalmente com o dinamismo que hoje conhecemos.Em 1968 Dona Jane viajou para o Chile para visitar sua filha e netos. Lá chegando ficou seriamente enferma, não podendo retornar no prazo que havia marcado. Para que o trabalho não sofresse foi nomeada Constância Ferreira, que assumiu interinamente a coordenadoria Nacional, e que foi nomeada novamente como coordenadora em 1.969.Em 1970 foi nomeada Odá de Castro Pessanha (uma das pioneiras da quadrangular em Curitiba). Casada e com filhos, essa valorosa irmã trabalhou ao lado das senhoras desde o início da obra, nos anos cinquenta. Foi Segunda Tesoureira do CND de 1982 a 1994.Em 1973 a missionária Jane Faulkner foi novamente nomeada pela convenção e permaneceu no cargo até 1988, quando seu esposo, Rev. George Russell Faulkner, retornou aos EUA, após vinte e seis anos como presidente da Igreja no Brasil.Hoje Dona Jane tem oitenta e quatro anos de idade, seu esposo passou para o Senhor em 13 de Fevereiro de 1997. Ela, que já era pastora titular quando conheceu seu futuro marido, após o casamento foi sempre sua auxiliar dedicada.Nos paises por onde passaram sempre realizou um grande trabalho, especialmente aqui no Brasil, onde, durante esses vinte e seis anos, foi pastora auxiliar na igreja Sede, professora da escola dominical e do Instituto Bíblico, conselheira do Grupo de Senhoras da Sede, Coordenadora Nacional dos Grupos Missionários de Senhoras. Hoje permanece auxiliando ativamente o grupo de mulheres na igreja em Santa Fé Springs.Um exemplo vivo de como uma mulher pode servir a Deus no lar, na igreja e na sociedade. Jane Faulkner completou, em janeiro de 1998, sessenta e cinco anos de ministério. Criou seus quatro filhos na igreja e todos servem ao senhor, tem vinte e um netos e trinta e dois bisnetos. A maior parte da familia está em Los Angeles, uma das filhas é pastora em outra cidade da California , ao lado de seu esposo, dois de seus netos são missionários na Africa.Por causa do crescimento acelerado dos grupos ela passou a realizar dois Congressos por ano, também implantou o programa de oferta de missões com o objetivo de incentivar os grupos a ampliar sua visão e participação no trabalho da Igreja.Em 1989 foi nomeada Lequeria Zdrojewski, que organizou a divisão por estado, criou a coordenadoria estadual e iniciou os congressos estaduais. Por esta epoca realizar dois Congressos Nacionais já não era suficiente, estavam tão grandes em número de participantes que ela resolveu de dois em dois anos fazer o Congresso somente com as lideranças dos grupos. Implantou o programa da Casa do Alabastro destinado a atender as necessidades das famílias de missionários e pastores da IEQ. Ela permaneceu até 1996.Dona Liqueria tem um filho e dois netos e é pastora da IEQ a mais de trinta anos. Trabalha ao lado de seu esposo, Rev. Eduardo Zdrojewski, presidente do CND entre 1988 e 1996 e atual pastor da primeira igreja de Curitiba.Com a saída da Pra. Liqueria, em 1996, assumiu a coordenadoria Nancy Augusta da Rocha Paliarin. Pastora da IEQ desde 1976 e membro da igreja a mais de trinta anos, tem quatro filhos, oito netos e sempre trabalhou ao lado de seu esposo, Rev. Jayme Paliarin.Uma das grandes novidades durante a gestão da Pra. Nancy foi a divisão do Congresso Nacional em vários Congressos Setoriais. A idéia foi uma solução para o problema de encontrar locais suficientemente grandes para abrigar os antigos Congressos Nacionais. Agora, ao invés de um, temos quatro congressos por ano. Seu mandato terminou em 26 de março de 2000.A atual coordenadora é a Pra. Mara Martins de Barros Flores, nomeada em abril de 2000. Filha dos pastores Onésimo e Helenice de Barros, Mara é uma legitima representante da primeira geração quadrangular, pois foi criada desde o nascimento na Igreja do Evangelho Quadrangular. Casada com o Superintendente da cidade de Jaú, Pr. Pedro Antonio Flores, tem dois filhos, Pedro Antonio e Lucas, que também trabalham na igreja ao lado dos pais.
O casal já pastoreou igrejas em Teresina, Natal, Salvador, Caxias do Sul e Jaú, onde estão atualmente. A pastora Mara foi também, durante onze meses, coordenadora de mulheres no estado de São Paulo. Com a experiência pastoral, sua personalidade dinâmica e empreendedora, e a bênção de Deus, acreditamos que ela fará um grande trabalho na coordenadoria.Hoje, como a quarenta e nove anos atrás, as mulheres da IEQ continuam demonstrando o mesmo empenho, amor e dedicação ao trabalho do Senhor.Este texto faz parte da coleção "Memória Quadrangular".


Todos os direitos reservados pelo Departamento Histórico da Igreja do Evangelho QuadrangularAo reproduzir qualquer parte deste site favor citar a fonte.